fbpx

Acolhimento Familiar: seminário internacional sobre tema termina amanhã

Desde o último domingo, dia 20 de outubro, Campinas sedia o III Seminário Internacional de Acolhimento Familiar. O evento prossegue até esta quarta-feira, dia 23 de outubro, e reúne mais de 400 pessoas, entre juízes, promotores, técnicos da Vara e da Infância e Juventude, assistentes sociais, psicólogos, conselheiros tutelares, advogados, organizações da sociedade civil, estudantes e interessados na área.

Os profissionais participam de uma intensa programação entre palestras, painéis e oficinas com participação de especialistas nacionais e internacionais que trazem o que há de mais novo no mundo sobre o tema. De acordo com a coordenadora do Plano pela Primeira Infância Campineira (PIC), Jane Valente, a avaliação dos participantes tem sido muito boa. “Há uma riqueza de conhecimento e perspectivas sempre considerando a qualificação do trabalho que já existe”, enfatizou.


 

Também para a coordenadora, Campinas tem tido grande avanço no cuidado e na proteção de crianças de zero a três anos em famílias acolhedoras. Atualmente, atendendo às Diretrizes da ONU sobre Cuidados Alternativos de Crianças Afastadas dos Cuidados Parentais, o município está trabalhando para a colocação das crianças até seis anos de idade em medida protetiva.

 

Embora seja preferencial por lei, há no País apenas 5% das crianças acolhidas nessa modalidade. “Por isso, a realização desse seminário é muito importante para sensibilizar os profissionais que trabalham com as crianças em situação de risco e a sociedade em geral”, argumentou a secretária municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos, Eliane Jocelaine Pereira.

Jane lembrou que é muito importante a captação de novas famílias acolhedoras para fortalecer os serviços e ampliar o acolhimento de crianças e adolescentes em família. “Amanhã por exemplo, teremos dez oficinas. Uma delas vai tratar especificamente da questão da divulgação dos serviços de acolhimento para estimular novos acolhedores”, explicou.

 

A oficina “Estratégias para a divulgação do Acolhimento Familiar” ocorre no período da manhã e terá a mediação da representante da Pastoral da Criança, Maristela Cizeski. A apresentação do tema será feita pela jornalista Luciana Abade da Rede ANDI Brasil (Agência de Notícias dos Direitos da Infância).

 

Programação das oficinas nesta quarta-feira, 23 de outubro

 

Horário: 9h às 12h

Acolhimento Familiar: diferentes modalidades e concepções de vínculos afetivos no cotidiano do serviço

Mediação: Juliana Fernandes, assessora do Gabinete da Secretaria Nacional de Assistência Social, do Ministério da Cidadania

“Diferentes modalidades de acolhimento familiar e sua aplicação – Espanha”, com Jesús Palacios, professor da Universidade de Sevilha (Espanha)

“Concepções de vínculos afetivos de profissionais do acolhimento familiar: uma pesquisa qualitativa”, com Nina Rosa do Amaral Costa, psicóloga do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo

 

Apadrinhamento Afetivo

Mediação: Ana Angélica Campelo, assessora da Secretaria Nacional de Assistência Social (Ministério da Cidadania)

Acordar AEDHA, Campinas

Alice Bittencourt, da NECA São Paulo

Valéria Gimenes, da Prefeitura de Franca

Família Guardiã: acolhimento na família extensa

Mediação: Maria Angélica Bossolane Batista , da Prefeitura de Campinas

“A experiência da Prefeitura de Foz do Iguaçu”, com Edinalva Severo

 

Formação de famílias acolhedoras profissionais, com uma perspectiva nacional e internacional

Mediação: Rachel Fontes Baptista, pesquisadora e professora da Universidade Estácio de Sá

Marlene Iucksch, psicóloga e psicanalista, e Jean-Marc Bouville, psicanalista, professor em Ciências Sociais na França

Deni Dalla Riva, juiz da Vara da Infância de Camapuã (MS)

João Paulo Ferreira Delgado, professor na Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico do Porto, em Portugal

Estratégias para a divulgação do Acolhimento Familiar

Mediação: Maristela Cizeski, da Pastoral da Criança

Luciana Abade, da Rede ANDI Brasil

 

Horário: 13h30 às 16h30

Acolhimento Familiar com crianças pequenas

Mediação: Viviane Ferro (Ministério da Cidadania)

Lara Naddeo e Julia Teixeira, do Instituto Fazendo História

Ana Carolina Pereira e Adriana Pinheiro, Sapeca Campinas

Conviver AEDHA Campinas

 

O impacto de experiências traumáticas no desenvolvimento humano

Mediação: Maria José Geremias – Coordenadora da Proteção Social Especial de Alta Complexidade da Prefeitura de Campinas

Cristina Correa Diniz Peixoto, Presidente da Spaulding for Children, Estados Unidos

 

Acolhimento familiar de adolescentes

Mediação: Jonathan Hannay, da ACER Brasil, de Diadema

“A experiência de Cascavel”, Neusa Cerutti, coordenadora do Serviço de Família Acolhedora de Cascavel

“A experiência de Belo Horizonte”, com Valéria Silva Cardoso, Prefeitura de Belo Horizonte

 

Suicídio de crianças e adolescentes

Mediador: Natalia Valente, da Fundação FEAC Campinas

Marlene Iucksch Paula, psicóloga e psicanalista, e Jean-Marc Bouville, psicanalista e professor em Ciências Sociais da França

 

Acolhimento conjunto: mães e filhos

Mediador: Paulo Bonilha, da Prefeitura de Campinas

Roberto Naiber Willis Torrico, Abrigo Santa Clara de Campinas

Giovana Pellatti, Casa da Gestante de Campinas

Alessandra Vidmontas, Acolhimento Conjunto ECD, de Curitiba

Regiane Maximiano Vassoler, Aldeias Infantis SOS Brasil de Campinas