fbpx

Animais agradecem: Verde oficia clubes sobre fogos de artifício

Com as festas de fim de ano se aproximando, a Secretaria do Verde, Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (SVDS) desencadeou, esta semana, o envio de ofícios aos condomínios localizados na APA Campinas e aos clubes sociais de toda a cidade lembrando-os da vigência da Lei Municipal nº 15.449 de 28 de junho de 2017 (Estatuto dos Animais), que proíbe a utilização de fogos com estampido maior do que 40 decibéis no município.

De acordo com o titular da SVDS, Rogério Menezes, embora a lei estabeleça multa de até 250 Ufics (R$ 847,65) para a prática, a Prefeitura investe na conscientização da sociedade sobre os efeitos positivos da norma. “Agradecemos a colaboração de clubes e condomínios no ano passado e esperamos, neste fim de 2018, poder repetir a parceria”, disse Menezes.


Para que nenhum condomínio ou clube fique sem receber o ofício, um funcionário da SVDS está entregando o documento em mãos aos responsáveis pelas instituições.

Consequências na APA

Além dos animais domésticos, que ficam incomodados com volumes acima de 40 decibéis, a utilização de fogos com estampidos trazem sérias consequências para a fauna das Áreas de Proteção Ambiental (APA).

Algumas espécies ficam estressadas com o barulho e tendem a fugir da área, ocasionando migrações com consequentes atropelamentos e choques contra barreiras naturais ou artificiais e ferimentos.

Os ruídos excessivos podem também inviabilizar as Áreas de Proteção Ambiental enquanto importantes centros de fecundação de aves, além de fazerem essas espécies abandonarem seus ninhos, inviabilizando as proles. Causam também desorientação durante o voo e choques contra barreiras.

Além de incêndios florestais, os fogos de artifício podem, ainda, causar contaminação ambiental pelas substâncias utilizadas para a confecção desses artefatos como nitrato de potássio, enxofre, perclorato de potássio, sódio, titânio, alumínio, magnésio, bário e outros.