Connect with us

Nossa Cidade

Aplicativo Tecla Samu permitirá que surdos acionem serviço de urgência

O aplicativo Tecla Samu, elaborado para uso por pessoas com deficiência auditiva, foi lançado pelo prefeito Jonas Donizette na manhã desta quarta-feira, 23 de agosto, na Sala Azul da Prefeitura. A ferramenta veio dar resposta a uma necessidade de comunicação entre os surdos e o serviço de urgência e emergência Samu, e já está liberada para uso.

O desenvolvimento do aplicativo é uma iniciativa do Samu em parceria com a Secretaria Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência e Cidadania, Informática dos Municípios Associados (IMA) e a empresa Nearbee, que desenvolve soluções tecnológicas em saúde, segurança e qualidade de vida. O projeto não teve custo para a Prefeitura.


A ferramenta foi apresentada pelo diretor de Planejamento, Gestão e Controle da Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Paulo Guimarães. De acordo com dados do IBGE colhidos no censo de 2010, existem, pelo menos, 48.300 surdos na cidade.

“A inclusão é para todos e ter acesso a um serviço de saúde é fundamental. É a inteligência humana e a tecnologia aplicadas para o bem. Esse trabalho em conjunto tornou possível o desenvolvimento de um aplicativo acessível que vai ajudar quase 50 mil pessoas na cidade”, disse o prefeito Jonas Donizette.

“Esta foi uma iniciativa inovadora, uma junção de esforços para desenvolver uma tecnologia que amplia a inclusão e a autonomia das pessoas com deficiência auditiva”, disse a secretária municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência e Cidadania, Eliane Jocelaine Pereira.

Entre as pessoas com deficiência que têm autonomia, o surdo era o único que não conseguia acionar o Samu, porque era necessário ligar e conversar com a telefonista e com o médico regulador.

“Tínhamos a preocupação em atender esses 4,5% da população de Campinas, uma parcela expressiva, que tem deficiência auditiva e não tinha como acionar o serviço de urgência e emergência”, disse o coordenador do Samu, José Roberto Hansen, que levou a ideia de desenvolver uma ferramenta específica para surdos para a Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência.

Por meio do Tecla Samu, os surdos podem entrar em contato diretamente com o Samu apenas utilizando os ícones do aplicativo. De imediato, a equipe do Samu receberá a identificação e localização exata (via GPS) do usuário.

O aplicativo é pioneiro no Brasil e de uso exclusivo para surdos em Campinas, para evitar trotes. A linguagem dos ícones desenvolvidos para o sistema do Tecla Samu foi orientada pela Associação dos Surdos de Campinas (Assucamp).

A diretora financeira da Associação de Surdos de Campinas (Assucamp), Mônica Amaral Azevedo, contou que o lançamento da ferramenta foi comemorado pela comunidade surda da cidade. “Os surdos estão em todos os lugares e agora, quando estivermos em situação de emergência, poderemos chamar o Samu, seja para nós ou para outra pessoa que precise. A comunidade surda agradece por esta iniciativa”, disse Mônica.

O Tecla Samu pode ser baixado gratuitamente pela Play Store para o sistema operacional Android. Em cerca de 15 dias, será disponibilizado para IOS, na
Apple Store.

Como funciona

O aplicativo pode ser baixado por qualquer pessoa, mas para fazer uma solicitação é preciso ser cadastrado como surdo na Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência e possuir o cartão Bem Acessível. Quem não tiver o cartão deve fazer o cadastro diretamente na Secretaria. Ao acionar o sistema, o usuário será identificado e o acesso, liberado.

Após acessar o aplicativo com a senha, o sistema identifica o nome, a idade e localização atual do usuário.

Ao clicar em determinados ícones, o Samu recebe as informações, identifica o que ocorreu e se o atendimento é com o usuário ou com outra pessoa. Esse procedimento gera uma ocorrência e cria, automaticamente, uma ficha de atendimento.

Os dados são enviados diretamente para o operador de frota e, de acordo com a situação, será liberada uma UTI ou viatura de suporte básico para socorro.

Capacitação em Libras

Outro aspecto fundamental é que os funcionários do Samu estão recebendo treinamento da Língua Brasileira de Sinais (Libras) com a intérprete da Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência e Cidadania, Josie Ananias, para que possam atender e conversar com os surdos no momento em que a ambulância chegar ao local da ocorrência.

Três turmas de funcionários, que trabalham nas ambulâncias, já passaram por capacitação. Novos ciclos de treinamento serão realizados para que todos possam ser capacitados.

O Samu atende cerca de cinco mil chamados por mês. Tem três bases na cidade – no Centro, Taquaral e distrito Campo Grande -, possui viaturas de suporte avançado (com um médico, um enfermeiro e um motorista socorrista) e de suporte básico (com um auxiliar de enfermagem e um motorista socorrista).

Cartão Bem Acessível

O cartão Bem Acessível foi lançado pela Prefeitura de Campinas em novembro de 2015, com o objetivo de facilitar o acesso das pessoas com deficiência aos serviços públicos municipais.

Quem ainda não tem o cartão deve se cadastrar no Centro de Referência da Pessoa com Deficiência, na Avenida Anchieta, 343, 1º andar, Centro. É preciso levar os seguintes documentos (original e cópia): RG, CPF, comprovante de endereço, uma foto 3×4 e laudo médico emitido por órgão público (com código CID – Cadastro Internacional de Doenças), atestando a deficiência. O laudo não deve ter mais de 60 dias da data de emissão.

Mais informações pelo fone do Centro de Referência da Pessoa com Deficiência: (19) 3231-6940.

Continue Reading
Publicidade

Copyright ©2014-2020 NoticiasCampinas.com.br. Todos os direitos reservados.