fbpx

Notícias Campinas

Portal de Notícias da RMC

Campinas inaugura Jardim dos Sentidos Gisela Heller Gordon

O Jardim dos Sentidos Gisela Heller Gordon foi inaugurado nesta quinta-feira, dia 8 de agosto, como parte das comemorações dos 245 anos de Campinas. O Jardim dos Sentidos é um espaço inclusivo que, além do contato com a natureza, oferece às pessoas a possibilidade do estímulo aos sentidos do nosso corpo como a audição, a visão, o tato, o olfato e o paladar. O espaço fica na rua armando Oswaldo Precaro, 200, Vila Bourbon, Sousas – ao lado do Centro de Referência em Reabilitação (CRR) Jorge Rafful Kanawaty, em Sousas. 

 

O prefeito Jonas Donizette contou que as plantas e os demais componentes do jardim podem ser tocados, cheirados e provados. Segundo ele, o espaço foi idealizado como espaço terapêutico, pensando nas pessoas que estão em tratamento nas unidades de saúde, principalmente no CRR. “A obra é mais um trabalho entregue pela Prefeitura para atender às pessoas que estão fazendo reabilitação. Nós já fizemos uma melhora no Centro de Reabilitação e, hoje, nós estamos entregando o Jardim dos Sentidos. O olfato é estimulado por plantas aromáticas como menta, lavanda. Na parte degustativa temos plantas que as pessoas podem experimentar, na sensorial temos algumas plantas com textura diferente e na parte auditiva, temos metais, conchas e bambus. É um jardim que foi projetado de forma especial para a pessoa que por algum problema ou deficiência tenha dificuldade em ter essa sensibilidade por meio de seus sentidos”. 


 

 

 

 

O secretário de Saúde, Carmino de Souza, ressaltou que o Jardim dos Sentidos está em um local importante, anexo ao CRR que também foi recuperado ao longo da atual gestão. “Essa é uma área que mais acreditamos na saúde, que é o multiprofissionalismo. Todos estão trabalhando para atender a singularidade dessas pessoas que são especiais. Aqui há várias oficinas de artes manuais que são trabalhadas de forma pedagógicas. Esse Jardim dos Sentidos é único na cidade e inédito. As pessoas têm todas as possibilidades de estabelecer cada um dos sentidos e isso é algo muito diferente”, afirmou. 

 

 

 

Também presente na cerimônia, a secretária de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos, Eliane Jocelaine Pereira, também participou do evento e lembrou a importância da interlocução entre as diferentes áreas da Prefeitura. “O Brasil tem um deficit histórico com as pessoas com deficiência, muito em conta de um processo longo e uma exclusão social das pessoas com deficiência. Ainda persiste em muitos lugares uma supremacia do que se considera normal e ideal, excluindo a potencialidade das pessoas com deficiência e mobilidade reduzida. Os projetos integrados são absolutamente necessários e eu fico muito feliz em encontrar pessoas que pensam diferente, que trabalham e legitimam a igualdade”, afirmou. 

 

 

 

 

Sobre o Jardim

 

É um jardim arredondado, com dez canteiros com plantas e flores coloridas, ervas medicinais, condimentos, chás, gramas e pedriscos. Foi inspirado em experiências da Europa e em outras do Brasil, como o Jardim Sensorial de Curitiba e o Parque Inhotim, em Minas Gerais. É totalmente acessível, livre de barreiras arquitetônicas garantindo que as pessoas com deficiência possam aproveitar o espaço.

 

 

 

O jardim oferece canteiros com corrimão, guia, trilha específica para cadeira de rodas, bancos, informações úteis sobre o espaço e os nomes das plantas escritos em português e em braille. Possui piso tátil. 

 

 

 

Foram investidos cerca de R$ 425 mil na construção do local. Os recursos são provenientes de um convênio entre a Prefeitura e o Ministério Público do Trabalho. O projeto foi elaborado por profissionais que trabalham com plantas medicinais no CRR e teve apoio da Comissão Permanente de Acessibilidade. O projeto arquitetônico foi feito pela arquiteta da Emdec Thaís Mendonça, que faz parte da Comissão de Acessibilidade. A idealizadora foi Heloísa Pimentel que também participou do evento. O Conselho de Saúde também participou do projeto. 

 

 

 

A expectativa é que cerca de 50 pessoas passem pelo Jardim Sensorial por semana. O espaço vai funcionar das 8h às 17h, de segunda a sexta-feira.

 

 

 

A placa do Jardim dos Sentidos tem um QR Code que serve tanto a pessoas com deficiência visual quanto auditiva entender as informações. Ao acessar o QR Code por meio do celular a pessoa é direcionada a um vídeo que é audiovisual e interpretado em libras e passa todas as informações disponíveis na placa. Este é um modelo que será adotado para todos os equipamentos que forem de uso da população com deficiência a partir de agora, de acordo com a secretária Eliane Jocelaine. 

 

 

O evento teve a presença da família da senhora Gisela Heller Gordon, o esposo Flávio Gordon e os filhos André e Lara. A equipe de funcionários e de usuários do projeto também esteve presente. O representante dos usuários e trabalhadores do CRR, Alexandre Possi, entregou um exemplar do livro “Estou Vivo”, escrito pelo jornalista João Nunes e com projeto da psicóloga Maria Rodrigues, para o prefeito Jonas Donizette. “Foi uma luta grande para nós dentro do Conselho Local; tivemos várias reuniões com essa pauta. O Jardim dos Sentidos é uma conquista para todos e vai servir a muitos pacientes e ajudar muitas pessoas na reabilitação”. 

 

 

 

 

Sobre Gisela Heller Gordon

 

 

Gisela Heller Gordon trabalhou de 1987 a 1999 na Prefeitura de Campinas. Arquiteta formada pela USP, dirigiu o Departamento de Urbanização de Favelas, trabalhou na Coordenadoria Ambiental e Departamento de Meio Ambiente da Secretaria de Planejamento e Meio Ambiente, na Secretaria de Obras e no Departamento de Parques e Jardins (DPJ). 

 

Tinha como projeto a construção de um Jardim dos Sentidos em Campinas e por isso a homenagem. Faleceu em 22 de novembro de 2013 vítima de AVC (acidente vascular cerebral).