fbpx

Campinas leva experiência de combate a espécies exóticas a Piracicaba

A experiência de Campinas no combate a espécies exóticas foi apresentada no seminário “Leucenas em Piracicaba – Problemas e soluções”, realizado na última terça-feira (13), no anfiteatro da Secretaria Municipal de Educação, em Piracicaba. Na ocasião, o secretário do Verde, Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (SVDS), Rogério Menezes, falou sobre o manejo dessas espécies previsto no Plano Municipal do Verde.

 

Campinas foi convidada a participar da discussão, pela Secretaria de Defesa do Meio Ambiente (Sedema) de Piracicaba, em virtude da experiência bem-sucedida de combate à Leucena (Leucaena leucocephala), que é uma árvore invasora que ocupa completamente os espaços onde suas sementes alcançam, e impedem o desenvolvimento de todos os outros tipos de árvores nativas do Brasil.


 

O Plano Municipal do Verde determina, entre outras medidas, a remoção e controle da espécie invasora em todas as áreas pertencentes ao Banco de Áreas Verdes e nas áreas que recebem plantios de compensação ambiental. 

 

Praça

 

Uma das ações mais expressivas de combate à Leucena em Campinas ocorreu em 2016, quando um espaço degradado às margens do Córrego Serafim deu lugar a duas novas praças no centro urbano, com substituição das Leucenas por nove mil mudas nativas e frutíferas.  Coordenado pela SVDS, o projeto foi implementado por uma empresa em contrapartida a empreendimentos imobiliários implantados ao lado da área a ser reflorestada.

 

Leucena

 

A Leucena é uma árvore nativa da América Central com grande capacidade de adaptação a períodos secos. Essa capacidade fez da espécie um problema ambiental, uma vez que ela se desenvolve de forma muito rápida e agressiva, liberando substâncias no solo que eliminam as árvores brasileiras. Além disso, as Leucenas não produzem alimentos para passarinhos e outros animais. A Leucena, hoje, é considerada uma praga urbana em muitas regiões do País.