fbpx

Campinas registra três meses seguidos sem assaltos nos ônibus

O uso do tíquete QR Code (Quick Response Code; Código de Resposta Rápida) e cartões da família Bilhete Único (BU) para o pagamento da tarifa tem trazido mais segurança aos usuários do sistema de transporte público coletivo de Campinas. Por três meses seguidos – fevereiro, março e abril – não foi registrado nenhum caso de assalto nos ônibus. Desde o dia 19 de janeiro deste ano, não é mais aceito o dinheiro para o pagamento embarcado da passagem de ônibus.

 

 

 

“Todas as medidas que adotamos para eliminar o pagamento da tarifa em dinheiro, dentro dos ônibus, se mostram eficientes. As viagens são mais seguras para os usuários e os motoristas. Um belo exemplo de inovação, que proporciona mais segurança no transporte público”, comemora o secretário de Transportes e presidente da Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec), Carlos José Barreiro.


 

 

 

Em janeiro, antes do início da eliminação total do pagamento da passagem em dinheiro, em toda a frota, foram registradas 10 ocorrências de assaltos aos ônibus das empresas de transporte, totalizando prejuízo de R$ 606,20. Em 2018 foram 164 casos, com montante de R$ 10,8 mil; e em 2017 foram registrados 309 roubos, que renderam aos assaltantes R$ 22,5 mil.

 

 

 

“Nossa preocupação principal é que os casos [de roubos] estavam ficando mais constantes e violentos. A qualquer momento poderia ocorrer algo bem mais grave”, aponta Barreiro.

 

 

 

Histórico

O processo de eliminação do dinheiro como forma de pagamento embarcado da tarifa do transporte público de Campinas foi iniciado pela Administração municipal em 2014. Em agosto de 2014, foi lançado o Programa de Aperfeiçoamento Profissional (PAP), oportunidade de requalificação profissional aos cobradores que deixaram o sistema, oferecendo cursos gratuitos para diferentes áreas de atuação, por meio de parceria da Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc) com o Serviço Social do Transporte (Sest) / Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Senat).

 

 

 

Em 1º outubro de 2014, foram habilitados o Bilhete 1 Viagem e Bilhete 2 Viagens. O primeiro, destinado às entidades assistenciais e sociais, públicas ou privadas, mediante cadastramento prévio. O segundo, direcionado aos passageiros eventuais, com direito a viagens de ida e volta ao custo de R$ 11,40 (2 viagens + R$ 2,00 do casco).

 

 

 

Em 20 de janeiro de 2017, teve início o projeto piloto do uso do QR Code em 25 ônibus de oito linhas que atendem aos distritos de Sousas e Joaquim Egídio. Em 17 de fevereiro de 2018 não foi mais possível pagar a tarifa em dinheiro dentro dos ônibus que partem do Terminal Central. A medida foi estendida para o Terminal Mercado (1 e 3), em 21 de julho de 2018. E em 19 de janeiro de 2019 ocorreu a eliminação total do pagamento embarcado da passagem de ônibus em dinheiro, em toda a frota do transporte coletivo de Campinas.

 

 

 

QR Code e BU

 

O QR Code é um código de barras bidimensional, impresso em papel, que armazena dados e caracteres. Ele tem a codificação da tarifa e pode ser usado pelos passageiros eventuais, substituindo o dinheiro. O bilhete com o QR Code tem custo de R$ 4,70 e não proporciona a integração. A validade é de 30 dias, contados a partir da data da emissão, sem possibilidade de reembolso.

 

 

 

O tíquete QR Code, em papel, pode ser adquirido nos terminais de ônibus, Poupatempo Centro, Poupatempo Campinas Shopping, sede da Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc) e em cerca de 300 estabelecimentos credenciados, que podem ser consultados no site da Transurc.

 

 

 

Também é possível adquirir o QR Code virtual pelo celular, pagando com cartão de crédito, com disponibilidade 24 horas por dia. Basta instalar o aplicativo Transurc Smart, disponível nos sistemas Android e iOS. Para liberar a catraca, o usuário deve aproximar o tíquete de papel ou o código gerado na tela do celular na base abaixo do validador.

 

 

 

Já a família Bilhete Único possui os cartões: Comum, Vale Transporte, Escolar, Universitário, Idoso e Gratuito. Cada um voltado para um público específico; e com valores de tarifa diferenciados. Além disso, o cartão BU permite a integração, ou seja, o uso de mais de um ônibus, pagando apenas uma tarifa, por um período de 2h, todos os dias da semana.

 

 

 

Para mais informações, a população conta com o canal de atendimento da Transurc, pelo telefone 0800 014 02 04; e com o telefone 118, o “Fale Conosco Emdec”.