fbpx

Comissão das Pessoas com Deficiência ou Mobilidade Reduzida apresenta nesta terça-feira (17) os benefícios do aplicativo “Tecla Samu”

Lançado em agosto deste ano pela prefeitura, o aplicativo “Tecla Samu” passou a auxiliar a vida da comunidade surda da cidade que precisa do serviço de urgência. Para conhecer melhor como o sistema funciona e por quem ele pode ser utilizado, a Comissão das Pessoas com Deficiência ou Mobilidade Reduzida convidou o diretor do departamento de Planejamento, Gestão e Controle, da secretaria de Direitos da Pessoa com Deficiência e Cidadania para vir à Câmara fazer uma apresentação do aplicativo.
Jorge da Farmácia, presidente da Comissão conta que “por meio do Tecla Samu, os surdos podem entrar em contato diretamente com o Samu apenas utilizando os ícones do aplicativo, o serviço identifica o usuário pelo GPS, é um atendimento pioneiro e que precisa ser amplamente divulgado, por isso estamos abrindo este espaço na Câmara”, acredita.
A reunião está marcada para as 14 horas e será realizada no Plenarinho da Câmara, que fica na Avenida Engenheiro Roberto Mange, 66 – Ponte Preta. De acordo com dados do IBGE colhidos no censo de 2010, existem, pelo menos, 48.300 surdos na cidade.
O aplicativo é pioneiro no Brasil e de uso exclusivo para surdos em Campinas, para evitar trotes. A linguagem dos ícones desenvolvidos para o sistema do Tecla Samu foi orientada pela Associação dos Surdos de Campinas (Assucamp).
O desenvolvimento do aplicativo é uma iniciativa do Samu em parceria com a Secretaria Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência e Cidadania, Informática dos Municípios Associados (IMA) e a empresa Nearbee, que desenvolve soluções tecnológicas em saúde, segurança e qualidade de vida. O projeto não teve custo para a Prefeitura.
Como funciona
O aplicativo pode ser baixado por qualquer pessoa, mas para fazer uma solicitação é preciso ser cadastrado como surdo na Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência e possuir o cartão Bem Acessível. Quem não tiver o cartão deve fazer o cadastro diretamente na Secretaria. Ao acionar o sistema, o usuário será identificado e o acesso, liberado.
Após acessar o aplicativo com a senha, o sistema identifica o nome, a idade e localização atual do usuário. Ao clicar em determinados ícones, o Samu recebe as informações, identifica o que ocorreu e se o atendimento é com o usuário ou com outra pessoa. Esse procedimento gera uma ocorrência e cria, automaticamente, uma ficha de atendimento.
Os dados são enviados diretamente para o operador de frota e, de acordo com a situação, será liberada uma UTI ou viatura de suporte básico para socorro.
Texto e Foto: Central de Comunicação Institucional da CMC – Com informações da Prefeitura Municipal de Campinas