fbpx

Concessão já resultou na renovação de 211 abrigos de ônibus

Transformação da paisagem urbana, modernização e maior qualidade do serviço prestado aos usuários do transporte público coletivo. Esses benefícios já são sentidos pela população, como resultado da concessão dos abrigos de ônibus, firmada pela Administração Municipal no ano passado.

 

 

Até julho de 2019, foram instalados 88 abrigos com a nova padronização, com padrão igual aos da Avenida Francisco Glicério, mais confortáveis, seguros e funcionais. Outros 21 de modelo semelhante, instalados antes da concessão, tiveram sua manutenção assumida pela concessionária, totalizando 109 novos abrigos. Além desses, outros 102 abrigos metálicos, do chamado modelo “Jequitibá”, foram requalificados, totalizando 211 abrigos renovados ou substituídos, já assumidos pela concessionária. 


 

 

 

Até o final de 2019, serão instalados mais 137 novos abrigos de ônibus que, somados aos 88 novos equipamentos já instalados, totalizam os 225 abrigos previstos no primeiro período de implantação. Até 2022, mais 669 abrigos do novo modelo serão implantados no município, totalizando 894 equipamentos, num raio de 5 km da região central e nos principais corredores estruturantes do transporte público.

 

 

 

 

A modernização dos novos abrigos se soma à série de inovações implantadas recentemente no transporte público coletivo, que vão desde a implantação das tecnologias QR Code e biometria facial até a oferta de wi-fi grátis nos ônibus.

 

 

 

 

“A paisagem urbana de Campinas está mudando com a requalificação dos abrigos, que passaram a ser muito mais do que locais de embarque e desembarque de passageiros. Com ações inovadoras e modernas, estamos transformando, positivamente, a experiência de transporte e mobilidade dos usuários. Consequentemente, incentivamos a migração do transporte individual para o transporte público coletivo”, destaca o secretário de Transportes e presidente da Emdec, Carlos José Barreiro.

 

 

 

 

Os novos abrigos de ônibus possuem cobertura de material mais leve e resistente a impactos, quatro assentos individuais e iluminação em LED. Além da caracterização diferenciada, os equipamentos oferecem diversos diferenciais e benefícios à população, com a oferta de informações relativas às linhas de ônibus aos usuários e tomada USB para recarga de celular. Também contemplam recursos de acessibilidade, incluindo espaço para cadeirantes e a instalação de piso podotátil no entorno.

 

 

 

 

Além disso, todos os abrigos da concessão, mesmo os de padrão Jequitibá, serão iluminados, oferecendo maior segurança aos usuários. Nos abrigos mantidos pela concessionária, as instalações elétricas já foram executadas e a energização deve ser realizada pela CPFL Energia ainda em agosto. 

 

 

 

 

A prestação dos serviços da concessão é feita pela empresa Verssat Indústria e Construção, vencedora da concorrência realizada em abril de 2018. A receita da concessionária é proveniente da exploração publicitária, com exclusividade, dos pontos de parada concedidos, através dos chamados MUPI’s (Mobiliários Urbanos Para Informação). O município recebe outorga mensal de 6% da receita bruta alcançada com exploração publicitária.

 

 

Regiões favorecidas

 

Neste primeiro momento, os novos abrigos podem ser vistos nas regiões de maior demanda e atratividade comercial, com destaque para:

 

Centro: Avenidas Moraes Salles e Anchieta; 

Cambuí: Avenidas Júlio de Mesquita e Benjamin Constant;

Castelo: Avenida Andrade Neves;

Jardim das Oliveiras: Avenidas Engenheiro Augusto Figueiredo e Washington Luiz;

Jardim Guanabara: Avenida Orosimbo Maia;

Jardim Nossa Senhora Auxiliadora: Avenidas Barão de Itapura e Dr. Heitor Penteado;

Vila Brandina: Avenidas Iguatemi e Rotary.

 

 

 

Conservação e anti-vandalismo

 

Outra vantagem da concessão é que a empresa fica responsável pela manutenção, conservação e limpeza dos abrigos onde são instalados os MUPI’s de publicidade. Até julho deste ano, foram realizadas mais de 9,6 mil ações de manutenção, envolvendo vistoria, limpeza, retirada de panfletos e de pichações. 

 

 

A necessidade de manutenção constante dos abrigos é agravada pela falta de consciência de uma parcela da população, que comete atos de vandalismo contra o patrimônio público. Entre os trabalhos de conservação realizados, destacam-se 503 ações para remover pichações e outras 295 para retirar panfletos com propagandas irregulares. 

 

 

“A manutenção preventiva e corretiva dos abrigos sempre resultou em altos custos para os cofres públicos, principalmente por conta dos atos de vandalismo. Os abrigos são bens públicos, que permitem maior conforto aos usuários do sistema de transporte urbano. A população precisa nos ajudar a conservá-los, pois os maiores prejudicados pelo vandalismo são os próprios usuários”, completa o secretário de Transportes.

 

 

 

 

Abrigos reinstalados

 

A concessão também prevê a devolução de 460 dos abrigos metálicos substituídos à Emdec. Após recuperação e requalificação, esses abrigos são reinstalados pela Emdec em pontos fora da área de concessão.

 

 

 

A instalação desses abrigos ocorrerá preferencialmente em locais de embarque ou integração, que concentram maior número de linhas e demanda de usuários na espera de ônibus.