fbpx

Cursos profissionalizantes para jovens preenchem todas as vagas em 5 dias

Iniciativa da Coordenadoria de Políticas Públicas para a Juventude da Secretaria Municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos, os cursos profissionalizantes de Empreendedorismo e Economia Solidária e o de Profissionalização em Gestão Cultural tiveram as vagas preenchidas em apenas cinco dias.

O projeto é promovido em parceria com a Secretaria Nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir) do Governo Federal, que investiu R$ 170 mil no projeto. Novos candidatos podem se inscrever somente para a lista de espera até o dia 8 de março pelo portal da Prefeitura (campinas.sp.gov.br) clicando no banner do projeto ou pelo formulário disponível neste link. Havendo eventuais desistências, os candidatos da lista de espera serão convocados por ordem de inscrição.


O período de matrícula será divulgado em breve. Para desempate será usado o critério de renda. Os inscritos deverão ir pessoalmente ao CRJ, levar documentos com foto e o bilhete único de Campinas para recarga de vale-transporte referente aos dias de curso. São 200 vagas para jovens de 15 a 29 anos em quatro turmas nos períodos da tarde e da noite. Os cursos são gratuitos, de três a quatro meses, e serão ministrados por empresas especializadas no Centro de Referência da Juventude, o CRJ, da Vila União. Os alunos também receberão material escolar.

O coordenador de Políticas Públicas para a Juventude, Felipe Gonçalves, também destacou que o órgão tem ações para inserir os jovens dentro das empresas, com oportunidades de qualificação profissional e abertura de vagas. Em parceria com as organizações não governamentais Associação Centro de Estudos, Projetos e Ações Comunitárias (Imene) e a Ubuntu também estão previstos para março de 2019 cursos profissionalizantes de Auxiliar Administrativo, Iniciação ao Mundo do Trabalho, Logística e Recursos Humanos.

A secretária Municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos, Eliane Jocelaine Pereira, também ressaltou a importância do enfoque racial para o projeto, uma vez que beneficiará a juventude negra em Campinas. Segundo Eliane, o curso é oferecido na expectativa de minimizar esses impactos e oportunizar que jovens negros e com deficiência “possam adentrar o mercado de trabalho em condições de igualdade na disputa por uma vaga e tenham oportunidade de ter renda e fazer parte da população economicamente ativa em Campinas”.

Segundo Felipe, a proposta é que o jovem possa se capacitar para ser um multiplicador do que aprenderá na comunidade, além de poder ter uma alternativa de renda. A previsão, de acordo com Felipe, é realizar, dentro do curso de Gestão Cultural, um sarau de encerramento, reunindo tudo o que os alunos produziram nas aulas. A comunidade vai se envolver neste processo. Os cursos também são acessíveis para jovens com deficiência como a auditiva. Intérpretes de libras estarão disponíveis caso seja necessário.

Sobre os cursos

O curso de Empreendedorismo começa em 18 de março. Uma das turmas estudará das 15h às 18h e a outra das 18h às 21h. As aulas serão às segundas e quartas-feiras. Já o de Gestão Cultural começa em 23 de abril. Serão duas turmas nos seguintes horários: 15h às 18h e 18h às 21h, às terças e quintas-feiras. Os alunos que desejarem podem se inscrever para os dois cursos.

No curso de Empreendedorismo e Economia Solidária, o estudante vai aprender noções básicas de economia solidária e autogestão, além de fazer planos de negócios. A ideia é que o aluno encontre alternativas no mercado de trabalho formal e no associativismo. Os jovens podem, por exemplo, formar cooperativas.

O curso de gestão cultural é para jovens que atuem ou que pretendem atuar na área da cultura para que encontrem formas de gerar rendas neste segmento. Eles vão aprender como escrever projetos para editais de incentivo, empreender no segmento cultural e trabalhar a comunicação.