Conecte-se conosco

Nossa Cidade

Dia da Consciência Negra é celebrado no Largo do Rosário

Publicado

em

O prefeito de Campinas em exercício, Henrique Magalhães Teixeira, participou, na tarde desta quarta-feira, dia 20 de novembro, das atividades em celebração ao Dia da Consciência Negra. O palco das festividades foi o Largo do Rosário, espaço simbólico na cidade.

 

Houve mostra de trabalhos étnicos, shows musicais com artistas locais, uma sessão solene da Câmara Municipal de Campinas para a entrega do Diploma de Mérito Zumbi dos Palmares e encerramento com apresentação da banda Olodum. Os diplomas foram entregues a 15 personalidades que contribuem com a valorização da comunidade negra e da cultura Afro-brasileira.


 

Na ocasião, Henrique lembrou da importância da cultura afro-brasileira para o Brasil e, especialmente, para a sociedade campineira. “Nossa cultura não seria a mesma sem as incorporações dos costumes étnicos africanos”, frisou Henrique.

 

Participaram do evento vereadores, secretários municipais e sociedade civil representada por organizações, entidades e militância negra e igualitária de campinas

 

Sessão solene

 

Pela primeira vez na história de mais de dois séculos do Legislativo Campineiro, a honraria foi entregue em praça pública, especificamente no Largo do Rosário. 

 

A entrega, anual, é realizada sempre no dia 20 de novembro, justamente por ser o Dia da Consciência Negra e aniversário de morte de Zumbi dos Palmares.

 

Dia da Consciência Negra

 

O Dia da Consciência Negra É celebrado, no Brasil, em 20 de novembro. A data foi escolhida por coincidir com o dia atribuído à morte de Zumbi dos Palmares, em 1695, um dos maiores líderes negros do Brasil que lutou pela libertação do povo contra o sistema escravista. 

 

Zumbi dos palmares nasceu no estado de Alagoas no ano de 1655. Foi o principal representante da resistência negra à escravidão na época do Brasil colonial. Foi líder do Quilombo dos Palmares, comunidade livre formada por escravos fugitivos dos engenhos, índios e brancos pobres expulsos das fazendas.