fbpx

Emdec promove 2ª rodada de visitas monitoradas às obras do BRT

 

A Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec) está promovendo a segunda rodada de visitas monitoradas às obras de implantação dos três corredores BRT (Bus Rapid Transit – Ônibus de Trânsito Rápido) – Campo Grande, Ouro Verde e Perimetral – no município. O objetivo é mostrar o atual estágio de andamento dos trabalhos; além de dar transparência e visibilidade ao projeto.

 

 

 

A primeira visita da segunda rodada ocorreu 25 de fevereiro, para funcionários da Emdec. Em 12 de março (terça-feira) ocorre a visita voltada para funcionários de secretarias municipais e membros do Conselho Municipal Trânsito e Transporte (CMTT); e no dia 14 de março (quinta-feira), para vereadores e imprensa. A primeira rodada de visitas monitoradas às obras do BRT ocorreu no final de setembro do ano passado (2018), dentro das ações da Semana Municipal do Trânsito (Semutran).


 

 

 

“Em linhas gerais, nós já temos uma média de conclusão de obras da ordem de cerca de 20%. No caso do Corredor BRT Perimetral, a conclusão de obras já atinge 48%. Os trabalhos estão rigorosamente dentro do cronograma; e em alguns trechos, até adiantados. Temos a expectativa de concluir toda a parte pesada das obras até o final deste ano (2019). Restando para 2020 o acabamento final”, destaca o secretário de Transportes e presidente da Emdec, Carlos José Barreiro.

 

 

 

Programação

 

 

O ponto de encontro para a visita é a sede da Emdec (Rua Dr. Salles Oliveira, 1.028, Vila Industrial). A recepção está prevista a partir das 8h30, na Sala de Treinamento. Os convidados assistem a uma apresentação sobre o projeto do BRT e o atual estágio de andamento dos trabalhos.

 

 

 

Após a apresentação ocorre o embarque em ônibus coletivo disponibilizado pela Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc). A visita ocorre nos seguintes trechos: BRT Ouro Verde (Avenidas Amoreiras e Ruy Rodriguez, até a região do Jardim Capivari); BRT Campo Grande (Avenida John Boyd Dunlop, a partir da região do Satélite Íris, Jardim Florence, retorno, seguindo em direção ao Centro); BRT Perimetral (região do Jardim Miranda até o futuro viaduto estaiado). Há três paradas: Jardim Santa Lúcia (altura da Havan); Estação Bonfim e Viaduto Estaiado.

 

 

 

As visitas monitoradas às obras do BRT serão feitas mediante agendamento. Os convidados recebem e-mail e devem confirmar a presença.

 

 

 

BRT

 

 

O BRT campineiro contempla estações de transferência e infraestrutura adequada; veículos articulados ou biarticulados; corredores exclusivos com espaços para ultrapassagens; embarque e desembarque pela esquerda (junto ao canteiro central das avenidas); embarque em nível; e pagamento desembarcado. O sistema será mais seguro, rápido, eficiente e confiável.

 

 

 

O BRT Campo Grande tem 17,9 km de extensão, saindo da região central, ao lado do Terminal Mercado, seguindo pelo leito desativado do antigo VLT, Avenida John Boyd Dunlop, passando pelo Terminal Campo Grande e chegando ao Terminal Itajaí. Serão construídas 12 obras de arte (pontes e viadutos).

 

 

 

O BRT Ouro Verde tem 14,6 km de extensão, saindo da região central, do Terminal Central, seguindo pelas avenidas João Jorge, Amoreiras, Ruy Rodriguez, passando pelo Terminal Ouro Verde, Camucim até o Terminal Vida Nova. Nesse trajeto serão construídas quatro obras de arte (pontes e viadutos).

 

 

 

Entre os dois corredores há um corredor perimetral, chamado de BRT Perimetral, com 4,1 km de extensão, ligando a Vila Aurocan até o Campos Elíseos, seguindo pelo leito desativado do VLT.

 

 

 

Os três corredores BRT do município – Campo Grande, Ouro Verde e Perimetral – têm custo total de R$ 451,5 milhões. Serão 36,6 km de corredores, com tempo total de obras de três anos, com entrega em meados de 2020.