fbpx

Emoção predomina entre jovens que trocaram as ruas pela capacitação

A emoção tomou conta do Salão Vermelho do Paço Municipal na noite desta quarta-feira, 8 de maio, durante a entrega de certificado para os 15 formandos do Programa Construindo Autonomia para o Futuro (Procaf). Acompanhados de seus pais e familiares, os jovens, com idades a partir de 14 anos, deram seu recado e mostraram o quanto amadureceram durante os seis meses de curso.

 

 

O evento, promovido pela Organização da Sociedade Civil (OSC) Movimento Vida Melhor (MVM), conveniada com a Prefeitura de Campinas para atender crianças e adolescentes que estavam em situação de trabalho infantil, também contou com a participação de representantes da Unimed Campinas, patrocinadora do Procaf, da diretoria de Ensino Oeste, do Senai e do CIEE – Centro de Integração Empresa Escola, que ministram os cursos.


 

 

A coordenadora pedagógica Ana Paula Araripe Fragoso Pinke, responsável pela 9ª turma de formandos do Procaf, conta que essa formatura foi um momento muito especial, que mostrou o quanto eles são capazes de produzir e aprender. “Os próprios alunos construíram a cerimônia juntos. Esse trabalho coletivo expôs todo o amadurecimento do grupo. Ontem presenciamos adolescentes, com brilho no olhar, refletindo sobre suas vidas e a oportunidade que tiveram. Jovens que sabem cumprir acordos, regras e que somente precisavam de uma chance de mostrar o seu potencial”, colocou.

 

 

De acordo com Ana Paula, foram meses de trabalho intenso. “Estes adolescentes aprenderam a se deslocar pela cidade, para ir ao SENAI, CIEE, Diretoria de Ensino Oeste. Muitos nunca tinham saído dos seus bairros. A autonomia desenvolvida foi bárbara. Fomos ao Catavento Cultural, em São Paulo, e ficaram maravilhados. Fomos ao cinema, alguns pela primeira vez… Imaginem o deslumbramento”, falou emocionada.

 

 

O grupo também teve oportunidade de conhecer várias unidades culturais do município como o MIS – Museu da Imagem e do Som, a Biblioteca Municipal, o Museu do Esporte, além de participar de uma caminhada histórica, pelo centro de Campinas, guiada pelo historiador do Museu da Cidade.

 

 

Todo esse crescimento cultural e emocional fica evidente no depoimento dos pais e dos próprios alunos. Mãe de um dos formandos, Adriana Barbosa dos Santos retrata toda a emoção da formatura do seu filho Matheus ao comentar, em uma rede social, que o curso abriu uma oportunidade para ele. “Eu achei que já tinha perdido meu filho para o mundo, mas Deus sempre nos dá uma olhada e nos recompensa”, disse.

 

 

O formando, Matheus dos Santos, compartilha esse sentimento com a mãe, também via mensagem deixada numa rede social: “… agradeço a Deus por ter nos proporcionado essa oportunidade de aprendizado profissional…”

 

 

Procaf

 

 

Desde que o programa foi implementado, em 2014, mais de 190 jovens passaram por capacitação. A coordenadora dos serviços de média complexidade da Prefeitura de Campinas, Maria Angélica Bossolane Batista, explica que os adolescentes que participam desses cursos profissionalizantes são maiores de 14 anos, e durante o período da capacitação recebem uma bolsa-auxílio como contrapartida para mantê-los distantes do trabalho infantil.

 

 

“Esses adolescentes, muitas vezes, foram abordados pelas equipes do Movimento Vida Melhor – MVM por estarem trabalhando nos semáforos, oficinas, cemitérios, dentre outros locais. Sempre com a finalidade de adquirir dinheiro para ajudar no sustento da casa. E só retirá-los da rua e dizer que não podem ficar expostos a este tipo de trabalho não resolve”, explicou Maria Angélica.

 

 

Assim, o programa oferece, como contrapartida, a bolsa-auxílio, para que possam contribuir para a renda do domicílio, ou mesmo para garantir o seu lazer, ou aquele tênis tão desejado que os pais não podem subsidiar. Financiado pela Unimed Campinas, o programa oferece cursos no SENAI, CIEE – Centro de Integração Empresa Escola, e Diretoria de Ensino Oeste.

 

 

O Procaf foi idealizado para atender a demanda de profissionalização dos adolescentes, tendo em vista a mudança qualitativa no processo de ensino/ aprendizagem, a fim de propiciar o desenvolvimento de suas potencialidades e competências. Dessa forma, o MVM acredita que incrementará o protagonismo e a autonomia dos jovens.

 

 

O processo visa a superação da vulnerabilidade social imposta a esse grupo de adolescentes. A meta é proporcionar maior chance de concorrência no mercado de trabalho.

 

 

Além do Procaf, o MVM também executa o programa Convim – Construindo uma Vida Melhor, único serviço do município de Campinas que faz a abordagem de rua de crianças e adolescentes em vulnerabilidade social.