fbpx

Equipe do Reconecta RMC reúne-se em Santo Antonio de Posse

O município de Santo Antonio de Posse sediou nesta quinta-feira, 19 de setembro, a Reunião Geral do Reconecta RMC, programa que tem por objetivo o planejamento de ações de conservação e recuperação da fauna e flora na escala da Região Metropolitana de Campinas, através da implantação da área de conectividade proposta pelos técnicos ambientais dos órgãos ambientais municipais.

 

A reunião teve o objetivo de apresentar, por parte de cada subgrupo, o andamento das ações e a discussão dos pontos de interesse. A expectativa é que os documentos sejam finalizados entre o final do ano de 2019 e o começo de 2020 para, depois, dar início à busca por formas de implantação.


 

Os grupos foram divididos por temas, entre eles, os de discussão sobre os  Parques Lineares, com a elaboração de diretrizes minímas para implantação e manutenção de parques lineares inseridos na área de conectividade.

 

Outros grupos participantes dizem respeito à arborização urbana (elaboração de uma Política de Arborização Urbana Regional incidente na Área de Conectividade); Corredores Ecológicos (elaboração de diretrizes minímas para implantação e manutenção); Inventário de Fauna Silvestre Regional; Manual de Fauna Silvestre (elaboração de um manual de conscientização e capacitação sobre a fauna silvestre regional e seu manejo adequado).

 

Há, ainda, os grupos destinados a elaborar um modelo de manejo de fauna silvestre regional importante para a conservação (Equipamentos CRAS/CETAS); estudar formas de compensação, fiscalização e regulamentação (busca por modelos de compensação interfederativa e regulamentação e suas estratégias de implantação); e Plano de Comunicação e Articulação, responsável por elaborar as diretrizes necessárias para uma comunicação e articulação ativa para com todas as partes interessadas (sociedade civil, Poder Público, iniciativa privada, proprietários, ONGs, institutos de pesquisa e outros).

 

 

 

 

 

 

O município de Santo Antonio de Posse sediou nesta quinta-feira, 19 de setembro, a Reunião Geral do Reconecta RMC, programa que tem por objetivo o planejamento de ações de conservação e recuperação da fauna e flora na escala da Região Metropolitana de Campinas, através da implantação da área de conectividade proposta pelos técnicos ambientais dos órgãos ambientais municipais.

 

A reunião teve o objetivo de apresentar, por parte de cada subgrupo, o andamento das ações e a discussão dos pontos de interesse. A expectativa é que os documentos sejam finalizados entre o final do ano de 2019 e o começo de 2020 para, depois, dar início à busca por formas de implantação.

 

Os grupos foram divididos por temas, entre eles, os de discussão sobre os  Parques Lineares, com a elaboração de diretrizes minímas para implantação e manutenção de parques lineares inseridos na área de conectividade.

 

Outros grupos participantes dizem respeito à arborização urbana (elaboração de uma Política de Arborização Urbana Regional incidente na Área de Conectividade); Corredores Ecológicos (elaboração de diretrizes minímas para implantação e manutenção); Inventário de Fauna Silvestre Regional; Manual de Fauna Silvestre (elaboração de um manual de conscientização e capacitação sobre a fauna silvestre regional e seu manejo adequado).

 

Há, ainda, os grupos destinados a elaborar um modelo de manejo de fauna silvestre regional importante para a conservação (Equipamentos CRAS/CETAS); estudar formas de compensação, fiscalização e regulamentação (busca por modelos de compensação interfederativa e regulamentação e suas estratégias de implantação); e Plano de Comunicação e Articulação, responsável por elaborar as diretrizes necessárias para uma comunicação e articulação ativa para com todas as partes interessadas (sociedade civil, Poder Público, iniciativa privada, proprietários, ONGs, institutos de pesquisa e outros).

 

 

 

 

 

O município de Santo Antonio de Posse sediou nesta quinta-feira, 19 de setembro, a Reunião Geral do Reconecta RMC, programa que tem por objetivo o planejamento de ações de conservação e recuperação da fauna e flora na escala da Região Metropolitana de Campinas, através da implantação da área de conectividade proposta pelos técnicos ambientais dos órgãos ambientais municipais.

 

A reunião teve o objetivo de apresentar, por parte de cada subgrupo, o andamento das ações e a discussão dos pontos de interesse. A expectativa é que os documentos sejam finalizados entre o final do ano de 2019 e o começo de 2020 para, depois, dar início à busca por formas de implantação.

 

Os grupos foram divididos por temas, entre eles, os de discussão sobre os  Parques Lineares, com a elaboração de diretrizes minímas para implantação e manutenção de parques lineares inseridos na área de conectividade.

 

Outros grupos participantes dizem respeito à arborização urbana (elaboração de uma Política de Arborização Urbana Regional incidente na Área de Conectividade); Corredores Ecológicos (elaboração de diretrizes minímas para implantação e manutenção); Inventário de Fauna Silvestre Regional; Manual de Fauna Silvestre (elaboração de um manual de conscientização e capacitação sobre a fauna silvestre regional e seu manejo adequado).

 

Há, ainda, os grupos destinados a elaborar um modelo de manejo de fauna silvestre regional importante para a conservação (Equipamentos CRAS/CETAS); estudar formas de compensação, fiscalização e regulamentação (busca por modelos de compensação interfederativa e regulamentação e suas estratégias de implantação); e Plano de Comunicação e Articulação, responsável por elaborar as diretrizes necessárias para uma comunicação e articulação ativa para com todas as partes interessadas (sociedade civil, Poder Público, iniciativa privada, proprietários, ONGs, institutos de pesquisa e outros).