fbpx

Notícias Campinas

Portal de Notícias da RMC

Mais de 600 pessoas em situação de rua são vacinadas contra a gripe

Entre os dias 6 e 11 de maio, 668 pessoas, entre pessoas em situação de rua e trabalhadores da saúde que atuam com esse público, receberam a vacina contra a gripe. Este é o quinto ano consecutivo que a vacina é aplicada nesse público. A ação faz parte de um trabalho intersetorial do Consultório na Rua (CnaR) realizado pelo serviço de Saúde Dr. Cândido Ferreira. Esta intersetorialidade também é proposta no Plano Municipal de Atenção à População em Situação de Rua. 

 

 

Implantado no município em setembro de 2012, o serviço funciona em parceria com as demais unidades da rede de Saúde e da Assistência Social. “Essa intersetorialidade é essencial para o desenvolvimento do nosso trabalho. Os serviços da Assistência, por exemplo, são nossos grandes parceiros porque atuam no convencimento dessa população e na divulgação das nossas ações”, comenta a coordenadora do Consultório na Rua, Alcyone Apolinário Januzzi.


 

 

Além dos locais onde o Consultório atua normalmente, o esquema de aplicação de vacinas também foi levado para unidades da Assistência Social como o Centro Pop 1 e 2, Casa São Francisco (abrigo), Casa de Passagem Nossa Casa, Albergue Municipal Samim e Casa da Cidadania.

 

 

A equipe também passou por três equipamentos da saúde: CAPs AD Reviver e CAPs IJ Carretel e pela Casa da Gestante, além de vários locais conhecidos pelo Consultório onde há concentração de população em situação de rua como Largo do Pará; Mercadão; Terminal Central; região da Fepasa (Costa Aguiar e Camelôs); Paranapanema; Via Norte e Jardim Eulina.

 

 

Conforme relato da coordenadora, no início era preciso convencer as pessoas a se vacinarem. Agora, eles procuram pela vacina. “Isso mostra que as pessoas em situação de rua estão se cuidando mais. Que a atenção que é dada a eles, enquanto cidadãos de direitos, está apresentando resultados positivos.  Com o convívio no CnaR eles passaram a aderir aos tratamentos propostos e buscam esses cuidados”, conta. 

 

 

Alcyone ressalta ainda que essa é uma vacina de prevenção e por estarem em situação de vulnerabilidade estão mais propensos aos três sorotipos da gripe – H1N1, H3N2 e Gripe B. 

 

 

Também participaram da ação os alunos da graduação em medicina da Unicamp, dentro do projeto de formação do Consultório na Rua com a presença da docente Carina Diniz.

 

Entre os dias 6 e 11 de maio, 668 pessoas, entre pessoas em situação de rua e trabalhadores da saúde que atuam com esse público, receberam a vacina contra a gripe. Este é o quinto ano consecutivo que a vacina é aplicada nesse público. A ação faz parte de um trabalho intersetorial do Consultório na Rua (CnaR) realizado pelo serviço de Saúde Dr. Cândido Ferreira. Esta intersetorialidade também é proposta no Plano Municipal de Atenção à População em Situação de Rua. 

 

 

Implantado no município em setembro de 2012, o serviço funciona em parceria com as demais unidades da rede de Saúde e da Assistência Social. “Essa intersetorialidade é essencial para o desenvolvimento do nosso trabalho. Os serviços da Assistência, por exemplo, são nossos grandes parceiros porque atuam no convencimento dessa população e na divulgação das nossas ações”, comenta a coordenadora do Consultório na Rua, Alcyone Apolinário Januzzi.

 

 

Além dos locais onde o Consultório atua normalmente, o esquema de aplicação de vacinas também foi levado para unidades da Assistência Social como o Centro Pop 1 e 2, Casa São Francisco (abrigo), Casa de Passagem Nossa Casa, Albergue Municipal Samim e Casa da Cidadania.

 

 

A equipe também passou por três equipamentos da saúde: CAPs AD Reviver e CAPs IJ Carretel e pela Casa da Gestante, além de vários locais conhecidos pelo Consultório onde há concentração de população em situação de rua como Largo do Pará; Mercadão; Terminal Central; região da Fepasa (Costa Aguiar e Camelôs); Paranapanema; Via Norte e Jardim Eulina.

 

 

Conforme relato da coordenadora, no início era preciso convencer as pessoas a se vacinarem. Agora, eles procuram pela vacina. “Isso mostra que as pessoas em situação de rua estão se cuidando mais. Que a atenção que é dada a eles, enquanto cidadãos de direitos, está apresentando resultados positivos.  Com o convívio no CnaR eles passaram a aderir aos tratamentos propostos e buscam esses cuidados”, conta. 

 

 

Alcyone ressalta ainda que essa é uma vacina de prevenção e por estarem em situação de vulnerabilidade estão mais propensos aos três sorotipos da gripe – H1N1, H3N2 e Gripe B. 

 

 

Também participaram da ação os alunos da graduação em medicina da Unicamp, dentro do projeto de formação do Consultório na Rua com a presença da docente Carina Diniz.