fbpx

Menores suspeitos de agressão já estão na Fundação Casa

Os dois adolescentes envolvidos na agressão em frente ao clube Hípica de Campinas já estão internados em unidades da Fundação Casa da cidade desde a tarde desta quinta-feira. Ontem, a Justiça determinou a internação provisória de 45 dias dos três adolescentes envolvidos no espancamento de outro jovem no começo deste mês.

Um deles foi encaminhado para a Casa Campinas na Vila San Martin e outro para a unidade Amazonas que fica na Vila Georgina. A Justiça determinou que eles ficassem em unidades separadas. O terceiro adolescente envolvido na agressão está internado no Hospital de Clínicas da Unicamp sob escolta da Polícia Militar. Ele teria tido uma crise de ansiedade e está em tratamento.


O caso de espancamento aconteceu no começo deste mês e causou repercussão na cidade. A vítima, também de 17 anos, foi cercada pelos três adolescentes, que avançaram sobre ele. O ataque ocorreu na Rua Buriti, no bairro das Palmeiras, em frente ao clube. Toda a agressão foi gravada por câmeras de segurança do clube e estão em segredo de Justiça.

A vítima sofreu fraturas graves e chegou a ficar internada no hospital após uma cirurgia. A desavença entre os adolescentes ocorreu porque a vítima teria ficado com uma ex-namorada de um dos agressores.

Além da investigação do caso, a polícia apura a participação do pai de um dos adolescentes no caso. Ele teria levado e buscado os adolescentes no local. Ele também não prestou socorro ao jovem agredido que foi socorrido por funcionários do clube.

Os menores foram denunciados por lesão corporal pelo Ministério Público. O juiz da 3ª Vara Criminal, Nelson Augusto Bernardes de Souza, marcou audiência para a próxima segunda-feira.    Segundo a sentença dada nesta quinta-feira, logo após os fatos, a vítima recebeu, via aplicativo, mensagem ameaçadora de autoria de um dos agressores, que alertava o ofendido a não frequentar os mesmos locais. Ainda na sentença, o juiz afirmou, que o ato “foi praticado com extrema frieza e crueldade”. Em seguida a vítima conseguiu sair, mas foi perseguida e agredida novamente “de forma covarde”, quando novamente caiu.

O jovem teve fratura de órbita, com grande potencial de sequelas, caso o olho seja lesado ou, ainda que a visão não seja diretamente afetada, haja dificuldade de movimentação ocular pelo mal posicionamento das estruturas orbitárias que a fratura causa. Além disso, a fratura nasal, também pode ser permanente. (Com informações de Hidaiana Rosa/EPTV) ADVOGADOS  O advogado Daniel Leon Bialski, que defende um dos suspeitos, se pronunciou através de nota oficial. Confira na íntegra abaixo:  O advogado esclarece que são totalmente infundadas as acusações contra o menor JPBS e seu pai, o que será devidamente esclarecido pela Justiça, no momento adequado. Ademais, reitera que as imagens das câmeras de vigilância mostram que o pai do mencionado menor apartou a briga e tentou prestar socorro, mas o adolescente ferido preferiu entrar na Hípica, onde seu pai recusou expressamente ser atendido pelo serviço de ambulância daquele clube. A defesa afirmou também que não vai comentar sobre a internação do adolescente.   Confira a nota do advogado Alexandre Cunha que faz a defesa do segundo adolescente apreendido: “Entrei na causa a pedido da família, que tem um único objetivo quando me contratou: a ética e a verdade perante à sociedade. O nosso objetivo, e isso que é importante, é a reintegração e a reinserção de todos. Por isso que a defesa tem que ser uma coisa digna, humana. Sobre a internação do menor ele afirmou que não vai comentar”.

Já o advogado do adolescente internado na Unicamp não foi encontrado pela reportagemO CASO  A vítima sofreu fraturas graves e chegou a ficar internada no hospital após uma cirurgia. A desavença entre os adolescentes ocorreu porque a vítima teria ficado com uma ex-namorada de um dos agressores.  A vítima saiu de casa e seguia em direção ao clube quando foi cercado pelos outros adolescentes. Após a agressão, o advogado teria voltado ao local e levado os três agressores embora. O jovem agredido foi socorrido por funcionários do clube que chamaram o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência).

Fonte: https://www.acidadeon.com/campinas/cotidiano/policia/NOT,0,0,1447805,menores+suspeitos+de+agressao+ja+estao+em+fundacao+casa.aspx