fbpx

Obras do BRT na John Boyd Dunlop avançam para a região do Aurélia

As obras de implantação do Corredor BRT (Bus Rapid Transit – Ônibus de Trânsito Rápido) Campo Grande avançam em ritmo acelerado na Avenida John Boyd Dunlop (JBD). A partir desta terça-feira, 12 de fevereiro, os trabalhos chegam ao trecho de cerca de 800 metros da via, desde a altura do viaduto da Anhanguera até o cruzamento com a Rua Lucas Pereira de Castro, próximo ao Atacadão. O novo trecho corta os bairros Jardim Aurélia, Jardim Santa Vitória, Vila São Bento e Vila Ângela, na região do Enxuto e Shopping Unimart.

As obras consistem na demolição do canteiro central, retirada do pavimento atual, execução de uma passagem inferior e construção da Estação Aurélia. Serão realizadas escavações para rebaixamento do eixo da pista expressa neste trecho da Avenida JBD. Futuramente, o tráfego de veículos na expressa será feito por uma passagem inferior. As obras incluem ainda a execução do complemento das marginais, em ambos os sentidos, na altura da concessionária Ford Tempo e da Rua José dos Santos. A previsão inicial é que os trabalhos se estendam por aproximadamente nove meses. 


Durante esse período, a via expressa existente será interditada ao tráfego de veículos, em ambos os sentidos do trecho em obras. O trânsito será desviado para as marginais. O cruzamento da Avenida JBD com as avenidas José Pancetti e Antônio Carvalho de Miranda será interditado, com desativação do semáforo existente. Haverá sinalização para que a transposição entre os bairros Jardim Aurélia e Jardim Miranda seja realizada pela Avenida Império do Sol Nascente.  

Para minimizar os impactos à população e garantir a segurança e fluidez viária, a Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec) adotou plano operacional de trânsito, transporte e comunicação. As medidas foram iniciadas no dia 6 de fevereiro, quando ocorreu a apresentação das alterações viárias a moradores e comerciantes da região. 

“A cada novo trecho de obras, os projetos e alterações viárias são devidamente apresentados à população impactada. Além de reuniões presenciais, as equipes técnicas da Emdec realizam um amplo trabalho de campo, que inclui convocações, abordagens de moradores porta a porta e reuniões in loco com comerciantes da região impactada”, detalha o secretário de Transportes e presidente da Emdec, Carlos José Barreiro.

Trânsito e transporte

A Emdec adotou redução da velocidade máxima permitida no trecho impactado, que passa de 60 para 40 km/h. O estacionamento de veículos fica proibido ao longo de todo o trecho em obras, em ambos os sentidos da Avenida JBD. A proibição se estende a trechos das avenidas Império do Sol Nascente (nos dois sentidos) e José Pancetti (no sentido JBD – Jardim Aurélia). 

Rotas alternativas foram programadas para minimizar o fluxo de veículos na região em obras. A Emdec orienta que os motoristas não transitem pelo trecho em obras, utilizando os caminhos alternativos para agilizar seu percurso. A rota principal é de prioridade do transporte público coletivo.

A sinalização de rotas alternativas começa a partir da Rodovia Anhanguera (no sentido bairro – Centro) e na Vila Industrial (no sentido Centro – bairro). Os motoristas que transitam pela Avenida JBD em direção ao Centro deverão desviar pela Avenida Antônio Carvalho de Miranda e seguir uma das indicações de caminhos alternativos. Para os motoristas que chegam ao trecho em obras com destino à PUCC II e à região do Campo Grande, a Emdec indica desvio pela Avenida Império do Sol Nascente. As rotas alternativas estão sendo devidamente sinalizadas. 

O ponto de táxi localizado na marginal da Avenida JBD, ao lado do Shopping Unimart, será remanejado para a Avenida José Pancetti, no lado oposto ao Enxuto. Os ônibus que circulam pelo trecho da Avenida JBD serão desviados para as vias marginais, a partir do dia 12 de fevereiro. Em função das escavações, os pontos de ônibus localizados próximo ao Enxuto serão deslocados para a altura da Avenida Império do Sol Nascente. 

Agentes da Mobilidade Urbana circulam pelos trechos em obras, monitorando o trânsito e auxiliando na segurança e fluidez da circulação viária. A população pode esclarecer dúvidas pelo telefone 118, o “Fale Conosco Emdec”.

BRT Campo Grande

A nova frente de obras está dentro do Lote 2, Trecho 2, da implantação do BRT, que vai da Vila Aurocan até o viaduto sobre a Rodovia dos Bandeirantes, com 5 km de extensão. Os trabalhos deste trecho foram iniciados em janeiro, desde a PUCC II até a altura da Avenida Transamazônica. A responsável pela execução das obras é a empresa Construcap – CCPS Engenharia e Comércio. 

As obras do Corredor BRT chegaram à Avenida JBD em agosto de 2018, entre a região do Satélite Íris até após o viaduto da linha férrea, no Jardim Florence, onde ocorre implantação de pavimento e construção das estações Florence e Rossin. Em setembro, os trabalhos avançaram a partir do viaduto da Rodovia dos Bandeirantes até a região do Satélite Íris, onde está em andamento a implantação de novo pavimento, construção do Terminal Satélite Íris e de outras três estações. As duas frentes integram o Lote 2, Trecho 3, da implantação do BRT, que compreende desde o viaduto da Rodovia dos Bandeirantes até o Terminal Campo Grande, totalizando 6,4 km. 

O BRT Campo Grande terá 17,9 km de extensão, saindo da região central, ao lado do Terminal Mercado, seguindo pelo leito desativado do antigo VLT, Avenida JBD, passando pelo Terminal Campo Grande e chegando ao Terminal Itajaí. Os três corredores BRT do município – Campo Grande, Ouro Verde e Perimetral – têm custo total de R$ 451,5 milhões. São 36,6 km de corredores, com previsão de conclusão total em meados de 2020.