Notícias Campinas - Prefeitura apresenta “Cidade Segura” com câmeras de reconhecimento facial

Prefeitura apresenta “Cidade Segura” com câmeras de reconhecimento facial

Convidados e imprensa foram apresentados, na tarde desta quinta-feira, dia 13 de novembro, ao projeto “Safe City/Cidade Segura Campinas”, inédito no País. O evento, realizado no Salão Azul do Paço Municipal, mostrou em tempo real a ferramenta de inovação em tecnologia de segurança pública que já está sendo implantada na região central da cidade. A área receberá a instalação de câmeras inteligentes de alta tecnologia que permitem reconhecimento facial, entre outras funcionalidades de segurança.

O projeto-piloto selecionou Campinas em decorrência do porte do município e de sua importância econômica. A parceria da Prefeitura de Campinas com a empresa chinesa Huawei e o Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações (CPQD) é pioneira no Brasil e amplia o programa “Campinas Bem Segura”. A iniciativa tem apoio do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações e do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).


O prefeito Jonas Donizette enfatizou, durante a apresentação, que “segurança pública é algo que diz respeito a todos” e por isso a importância de um projeto que trabalhe na prevenção da criminalidade e na elucidação de casos, quando acontecem. Ele ressaltou que a parceria foi firmada sem nenhum custo para o Município e faz parte da construção de uma Cidade Inteligente, com foco em inovação voltada para o cidadão.

Serão instaladas em Campinas cerca de 30 câmeras inteligentes, disponibilizadas pela Huawei e integradas à Central Integrada de Monitoramento de Campinas (Cimcamp). A maioria dessas câmeras será instalada na região central da cidade. Elas poderão formar uma plataforma de integração inteligente, ou seja, existe a possibilidade de interligar essas câmeras da Prefeitura com outras do Cimcamp e também com equipamentos da iniciativa privada, como os localizadas em shoppings, postos de gasolina e bancos, por exemplo.

As novas câmeras permitem o reconhecimento facial, ajudando a identificar criminosos procurados e a localizar pessoas desaparecidas. As imagens serão cruzadas em um banco de dados de imagens de pessoas, a ser implementado para efetivar a ferramenta. As soluções estão sendo desenvolvidas em conjunto pela Secretaria Municipal de Cooperação nos Assuntos de Segurança Pública, por meio da Cimcamp e da Informática de Municípios Associados (IMA). A ideia é customizar a tecnologia disponível para integrar e dar inteligência ao trabalho que já existe hoje no município.

“Campinas é uma cidade que tem muita visibilidade. Vamos dar outros passos, avançar, expandir essa tecnologia aqui e para outros municípios, para que a nossa cidade e o País tenham mais segurança”, afirmou o prefeito. Ele lembrou a recente viagem do vice-prefeito Henrique Magalhães Teixeira, também presente ao evento, à China, para participação em congressos na área de tecnologia, o que demonstra o interesse da Administração Municipal em agregar conhecimento no setor para também trazer investimentos para a cidade.

Em sua fala no evento, o presidente da Huawei para América Latina, Zou Zhilei, destacou a importância do projeto realizado em Campinas para a empresa, por isso fez questão de estar presente à apresentação. “Vemos o grande potencial de fazer a parceria evoluir de maneira cada vez melhor”, afirmou, explicando que a padronização de acordo com as necessidades locais vai ajudar não só Campinas mas outras cidades no Brasil e na América Latina a desenvolver o conceito de cidades inteligentes com alto padrão de tecnologia.

Inteligência contra o crime

O conceito “living lab” (laboratório vivo) da Huawei para soluções avançadas de segurança pública em projetos de cidades inteligentes será replicado em Campinas. Na cidade, o foco será na segurança inteligente e na melhoria da qualidade de vida dos cidadãos.

Para o secretário de Cooperação nos Assuntos de Segurança Pública de Campinas, Luiz Augusto Baggio, a integração das novas câmeras ao Cimcamp pode ser comparada a dar um cérebro para os olhos que a cidade já possui. Ele explicou que o novo sistema permitirá adicionar funcionalidades para que seja possível reconhecer situações de perigo, além de localizar potenciais criminosos, por exemplo.

Das cerca de 30 câmeras da parceria com a Huawei, seis já estão instaladas no Terminal Central; Largo do Rosário com Avenida Francisco Glicério, Avenida Moraes Salles e Avenida Orosimbo Maia com Avenida Brasil, por exemplo. Também foram instaladas provisoriamente câmeras no Paço Municipal e na IMA para a etapa de testes. As demais câmeras também serão instaladas na região central. O Terminal Rodoviário é outro local indicado para receber câmeras de reconhecimento facial.

O programa “Campinas Bem Segura”, desenvolvido pela Administração Municipal, conta com 500 câmeras em toda a cidade, todas interligadas à Cimcamp. Neste total, estão as 130 câmeras que fazem o monitoramento veicular, interligadas ao Sistema Inteligente de Monitoramento Veicular de Campinas (Simvecamp). São câmeras instaladas nos principais acessos e ruas da cidade que permitem ler placas de veículos, com a finalidade de recuperar carros furtados ou roubados, flagrar criminosos em ação e retirá-los das ruas.

Em uma apresentação em tempo real, o diretor da Cimcamp, Willian Barbanera, demonstrou a funcionalidade das câmeras ao localizar uma pessoa previamente cadastrada no sistema de reconhecimento facial no saguão principal do Paço Municipal. Ao lado dos diretores da Huawey de Tecnologia e de Safe City/Cidades Seguras, Ricardo Bovo e Rildo Santos, o gerente de Desenvolvimento de Negócios para Cidades Inteligentes do CPQD, Maurício Cassoti, explicou a customização do sistema à realidade local de Campinas. Uma das aplicações é o envio da foto da pessoa procurada, por meio de um sistema de radicomunicação, para o guarda municipal mais próximo de onde ela foi localizada.

Defesa Civil

Além de colaborar com a área de Segurança, as novas câmeras serão usadas para dar suporte ao gerenciamento do trânsito e à atuação da Defesa Civil, por exemplo.

O projeto em parceria com a Huawei também prevê a instalação de dez Estações Meteorológicas Automatizadas em várias regiões da cidade. Esses aparelhos integrarão o videomonitoramento para alarmes em pontos de inundação, onde sensores poderão informar sobre risco de alagamento, entre outros casos.

O mecanismo medirá umidade, vento e volume de chuva em tempo real, de acordo com o Sidnei Furtado, diretor da Defesa Civil de Campinas. Segundo ele, a quantidade de chuvas em determinada região da cidade poderá soar alarmes de inundação em áreas a serem evitadas durante tempestades e também ajudar a monitorar pessoas em situações de perigo.

Outra funcionalidade prevista pela Defesa Civil será trabalhar na prevenção e controle de arboviroses, como zika e dengue, com as equipes de Saúde do Município. Os dados das Estações Meteorológicas poderão informar regiões da cidade com maior potencial para desenvolvimento de larvas de mosquitos por conta do alto volume de chuvas e temperatura elevada.

Para conhecer o trabalho que está sendo desenvolvido em Campinas, estiveram presentes ao evento representantes de cidades da região, como Indaiatuba e Sorocaba, e também de Uberaba (MG), e Feira de Santana (BA).

A apresentação do projeto “Cidade Segura Campinas” também contou com a presença do presidente mundial de Relações com Governo da Huawei, Victor Zhang; do secretário de Políticas do Ministério da Ciência, Tecnologia Inovações e Comunicações, Thiago Camargo; do vice-presidente do CPQD, Edvaldo Paro; do presidente da IMA, Fernando Garnero; do secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Social e de Turismo, André Von Zuben; do secretário de Transportes e presidente da Emdec, Carlos José Barreiro; e do presidente da Sanasa, Arly de Lara Romeo.