fbpx

Prefeitura e Sanasa anunciam sete novos reservatórios de água potável

O prefeito de Campinas, Jonas Donizette, e o presidente da Sanasa, Arly de Lara Romêo, assinaram nesta quarta-feira, 6 de novembro, a autorização para abertura de licitação para a construção de sete novos reservatórios de água potável. Os equipamentos totalizam uma capacidade de armazenamento de 15 milhões de litros de água e vão beneficiar aproximadamente 255 mil habitantes das regiões do campus 1 da PUC-Campinas, Nova Europa, Jardim Chapadão, Jardim Paranapanema, Jardim Carlos Lourenço e Parque Jambeiro.  

 

 

Durante a cerimônia, o prefeito destacou a importância das obras para o município. “Água é vida, é saúde. Em 2014 tivemos um período duro de crise hídrica, e com esse planejamento vamos fazer com que Campinas esteja preparada para momentos mais críticos na área de abastecimento de água”, afirmou.


 

 

Para o presidente da Sanasa, a previsão é que os reservatórios sejam entregues até dezembro de 2020. “Este é mais um importante passo na direção de obtermos sustentabilidade hídrica; na gestão do prefeito Jonas Donizette estamos dobrando a capacidade de reservação de água potável, o que é muito importante, porque evita faltar água em interrupções para reparos e manutenções”, destacou. 

 

 

As obras serão custeadas com financiamento obtido junto à Caixa Econômica Federal, complementado por contrapartida da Sanasa. A cerimônia de assinatura, realizada no anfiteatro da empresa, foi acompanhada por secretários municipais, vereadores e convidados.

 

  

Os novos reservatórios são:

 

 

Nova Europa – com capacidade para 2 milhões de litros, vai beneficiar 26.656 habitantes dos bairros Jardim Nova Europa, Parque da Figueira, Parque São Martinho, Jardim Stella e Jardim Icaraí. Investimento será de R$ 3.466.841,63. Deste total, R$ 3.120.157,65 são financiados pela Caixa e R$ 346.684,18 são contrapartida da Sanasa.

 

 

João Erbolato – com capacidade para 2,5 milhões de litros, vai beneficiar 54.632 habitantes dos bairros Jardim Chapadão, Vila Andrade Neves, Jardim Paulista, Vila Ferreira Jorge, Jardim Brasil, Jardim Guanabara, Jardim Botafogo, Jardim Novo Botafogo, Vila Martini, Fazenda Santa Eliza e Pedreira, além da ESPCEX. Investimento de R$ 3.651.596,64, dos quais R$ 3.196.436,98 são financiados pela Caixa e R$ 355.159,66 virão de contrapartida da Sanasa.

 

 

Carlos Lourenço – com capacidade para 1,5 milhão de litros, vai beneficiar 25 mil habitantes dos bairros Jardim das Andorinhas, Jardim Itatiaia, Jardim Itayu, Jardim Tamoio, Jardim New York, Jardim Carlos Lourenço e Jardim São Lourenço. Investimento total de R$ 1.644.902,68, sendo R$ 1.480.412,41 financiados pela Caixa e R$ 164.490,27 da Sanasa.

 

 

Paranapanema – capacidade para 2 milhões de litros, vai beneficiar 33 mil habitantes da Vila Orozimbo Maia, Jardim Itatiaia, Jardim das Andorinhas, Jardim São Fernando, Jardim Lemos e Jardim Paranapanema. Investimento de R$ 4.403.470,06. Deste montante, a Caixa vai financiar R$ 3.963.123,05 e os R$ 440.347,01 restantes virão de aporte da Sanasa.

 

 

Jambeiro – com capacidade para 1 milhão de litros, vai beneficiar 16 mil habitantes do Parque Jambeiro, Jardim Santa Judith, Residencial Golden China, Chácara São Martinho e Coudelaria do Exército. Investimento de R$ 2.586.123,78. Deste total, R$ 2.327.511,40 são financiados pela Caixa e R$ 258.612,38 são contrapartida da Sanasa.

 

 

Puc-Campinas (Campus 1) – dois reservatórios com capacidade, cada um, para 3 milhões de litros, totalizando 6 milhões. Vão beneficiar 100 mil habitantes dos bairros Jardim Santa Genebra partes 4 e 5, Barão Geraldo, Chácara Floresta, Vila Modesto Fernandes, Recanto Yara, Vila Santa Luísa, Residencial Burato, Jardim Novo Barão Geraldo, Cidade Universitária, Vila Santa Isabel, Residencial Barão do Café, Parque Rio das Pedras, Chácara Belvedere, Chácara Santa Margarida, Jardim do Sol, Solar Campinas, Chácara Marujo, Terras do Barão, Alto da Cidade Universitária, Condomínio Ibirapuera, Chácara Boa Sorte, Chácara Hollandia, Village Campinas e Chácara Leandro, além da Unicamp. Investimento de R$ 12.222.308,27. Deste total, R$ 11.000.077,44 são financiados pela Caixa e R$ 1.222.230,83 são contrapartida da Sanasa.

 

 

Com exceção do Reservatório Carlos Lourenço, que será construído em concreto, os demais serão em aço vitrificado. Trata-se de um material muito resistente, praticamente sem necessidade de manutenção.