fbpx

Prefeitura e universidades trabalharão por ‘Zona Franca do Conhecimento’

O prefeito de Campinas, Jonas Donizette, e o vice-prefeito, Henrique Magalhães Teixeira, estiveram reunidos nesta quinta-feira, 14 de fevereiro, com representantes da Unicamp e PUC-Campinas para tratar de assuntos de interesse comum. O encontro foi realizado na reitoria da Unicamp e o principal tema foi a criação do Hub Internacional para o Desenvolvimento Sustentável (HIDS), que pretende reunir universidades, centros de pesquisas, empresas, organismos públicos, entre outros atores, com o propósito de desenvolver projetos colaborativos voltados ao cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, agenda proposta em 2012 pelas Nações Unidas.

 

 

Um dos pilares do HIDS seria o aproveitamento da Fazenda Argentina, área de 1,4 milhão de metros quadrados adquirida pela Unicamp em 2014. Porém, está sendo proposta a elaboração de um plano de ocupação inicial de um território – chamado de Master Plan – que vai contemplar não somente a Fazenda Argentina, mas também a região hoje ocupada pela Ciatec (Companhia de Desenvolvimento do Polo de Alta Tecnologia de Campinas), numa área de 9 milhões de metros quadrados. A Unicamp está em tratativas com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) em busca de recursos para a formulação do Master Plan.


 

 

Para o prefeito de Campinas, o município caminha mais uma vez para se tornar uma referência no País. “Campinas adotou o lema da inovação e queremos fazer naquela região, onde tem a Unicamp e a PUC, uma Zona Franca do Conhecimento. Isso irá envolver startups, energia limpa e queremos, se possível, ter uma área com poluição zero. Queremos testar também, naquela região, todos os tipos de conectividade. O tamanho disso, e aonde vai chegar, dependerá do estudo do Master Plan”, afirmou Jonas Donizette.

 

 

O prefeito de Campinas determinou à sua equipe técnica que colabore no que for possível para que o projeto possa de fato ser implementado. A Prefeitura de Campinas esteve representada no encontro também pelos secretários de Desenvolvimento Econômico, Social e de Turismo, André von Zuben, e de Cultura, Ney Carrasco, e ainda pela diretora do Departamento de Planejamento (Deplan), Carolina Baracat. “Nós já dispomos de legislação e de normas tributárias que contribuirão para a criação do HIDS, uma vez que elas favorecem a instalação de empresas de alta tecnologia na cidade”, reforçou o prefeito.

 

 

O reitor da Unicamp, Marcelo Knobel, explicou aos presentes que a ideia de criar o HIDS nasceu na Unicamp, mas a universidade percebeu rapidamente que não faria sentido elaborar um projeto dessa importância sem a participação de parceiros de grande relevância para Campinas. “Nossa disposição é de implantar algo novo e ousado, que sirva posteriormente de referência para toda a cidade e, quem sabe, para o Estado e o Brasil”, projetou.

 

 

No encontro, o titular da Diretoria Executiva de Planejamento Integrado (DEPI) da Unicamp, Marco Aurélio Pinheiro Lima, citou alguns exemplos de hubs criados por outras cidades do mundo que podem ser adotados para orientar a criação do HIDS. Entre outras, ele mencionou Surrey, no Canadá, e Kalundborg, na Dinamarca.

 

 

Também participaram da reunião a coordenadora-geral da Unicamp, Teresa Atvars; o reitor da PUC-Campinas, Germano Rigacci Júnior, e seu vice-reitor, padre José Benedito de Almeida David. Os participantes definiram que vão elaborar um acordo para formalizar a parceria. O documento deverá ser assinado até julho deste ano.

 

 

Além da criação do HIDS, os presentes trataram, ainda, de dois outros assuntos. Um deles, refere-se ao prédio de propriedade da Unicamp localizado no Centro de Campinas, onde estava instalado o Colégio Técnico de Campinas (Cotuca), ligado à Universidade. O reitor Marcelo Knobel disse ao prefeito Jonas Donizette que a Unicamp está conversando com a direção da Campinas Decor, para que a mostra de arquitetura de 2020 seja realizada naquele imóvel, que está desocupado. Ao final do período de exposição, o prédio seria devolvido totalmente restaurado à Universidade. “Gostaríamos de sugerir à Prefeitura que estude a possibilidade de realizar algum projeto ou programa naquela região, no sentido de atrairmos pessoas e revitalizarmos a área”, pontuou o reitor. O prefeito informou que pedirá que sua equipe analise a questão.

 

 

O outro tema discutido foi o aproveitamento do Centro Cultural de Inclusão e Integração Social da Unicamp (CIS-Guanabara), instalado na Estação Guanabara. Tanto o reitor quanto o prefeito demonstram disposição em trabalhar pela renovação da cessão em comodato do espaço para a universidade, dado que ele pertence a uma empresa privada.