fbpx

Vanguardismo de Campinas é destaque em encontro com cônsul dos EUA

O  cônsul-geral dos Estados Unidos em São Paulo, Adam Shub, e sua delegação, foram recebidos pelo prefeito de Campinas, Jonas Donizette, na manhã desta quarta-feira, 30 de outubro.  O objetivo do encontro, que também reuniu os secretários de Cultura, Ney Carrasco, e de Desenvolvimento Econômico, Social e Turismo, André von Zuben, foi estreitar relações e discutir oportunidades de cooperação nas áreas de Cultura, Economia, Segurança Pública e Educação. 

 

“Campinas foi uma das primeiras cidades a pensar de forma global”, frisou o prefeito, citando o InovaCampinas, que está acontecenco na cidade. “O evento se fortalece como um espaço de concentração do que há de mais relevante no Brasil no que diz respeito à inovação, pesquisa e tecnologia”, afirmou.


 

Ainda sobre o vanguardismo da cidade na ciência mundial, Jonas Donizette citou o projeto do governo federal de pesquisa científica, o Sirius, cujo nome é inspirado na estrela mais brilhante vista a olho nu no céu noturno, situado no Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), em Campinas. O Sirius é um laboratório de luz síncrotron de 4ª geração, que atua como uma espécie de “raio X superpotente”, que analisa diversos tipos de materiais em escalas de átomos e moléculas. 

 

O cônsul Adam Shub reiterou a importância da cidade não apenas no Brasil, mas na esfera internacional. “Campinas tem um forte potencial tecnológico, acadêmico e de serviços. Coloco o Consulado à disposição para o engajamento comercial, nas parcerias com universidade, nos projetos urbanísticos, na segurança, enfim, para o desenvolvimento da cidade”, declarou.

 

Durante a visita, o secretário de Cultura, Ney Carrasco, mencionou que a Cultura é importante não apenas como estratégia de desenvolvimento, mas também pelo transbordamento para outros setores econômicos, movimentando 4% do Produto Interno Bruto (PIB). “Temos uma responsabilidade com os próximos anos. A digitalização do mundo vai acabar com uma série de atividades. E a Cultura, nesse ponto, provoca uma reação rápida, criativa”, refletiu.

Em um olhar mais abrangente, citou a Economia Criativa – termo que abriga artes, ciência e tecnologia, que tem se tornado uma importante estimuladora do desenvolvimento em nível mundial.